Posted tagged ‘história’

A história da Casa da Suíça…

17/02/2014

Nossa história…

…começa com a instalação de 400 famílias suíças em Nova Friburgo em 1819. Somente, em 1875 foi criada uma entidade para prestar assistência às famílias aqui residentes — a Sociedade Filantrópica Suíça — instalada, inicialmente, no centro do Rio, sendo transferida para uma casa, de estilo europeu, no bairro da Glória em agosto de 1928,ampliando assim as atividades do Cercle Suisse.

1920038_670732696303466_1455167581_n

Em 1952, num projeto arrojado esse núcleo inicial deu lugar à construção do Edifício Casa da Suíça que ao ser concluído em 1956 abrigou sob o mesmo teto: a Sociedade Filantrópica Suíça, a Embaixada, o Consulado — Geral o Centro Acadêmico, a Câmara de Comércio, o Asilo, a Capela, o Restaurante e o Cercle Suisse.

Com a transferência, anos mais tarde, da Embaixada para Brasília e a redução da colônia as atividades do Cercle foram encerradas, entretanto, o Restaurante manteve seu funcionamento.

Nessa época, o Restaurante que era destinado exclusivamente aos membros do Cercle abriu suas portas à outros clientes, um público que teve a oportunidade de conhecer as delícias da culinária Suíça e Internacional num ambiente único, agradável e aconchegante.

Um verdadeiro pedaço da Europa na Glória, bairro conhecido pelo seu glamour na sociedade carioca que convivia em harmonia com a elite intelectual, artistas e estrangeiros. O Restaurante Casa da Suíça sempre teve o cuidado de contar com grandes Chefs em sua cozinha.

O Chef Volkmar Wendlinger foi convidado à assumir o comando do Restaurante em outubro de 1977 e se mantém até hoje, após a excelente impressão causada durante o período de 1965 à 1966, quando esteve à frente da cozinha.

Anúncios

1º de agosto – Dia Nacional da Suíça

01/08/2010

A Suíça, oficialmente Confederação Suíça, é uma república federal composta por 26 estados, chamados de cantões, com Berna como a sede das autoridades federais. O país está situado na Europa Central, onde faz fronteira com a Alemanha a Norte, a França a Oeste, a Itália a Sul e com a Áustria e Liechtenstein a Leste.

Bandeira da Suíça

1º de agosto – Dia Nacional da Suíça

O Dia Nacional da Suíça está relacionado com o Pacto Federal dos Waldstätten (“cantões florestais”), concluído em princípios de agosto de 1291. É o primeiro pacto escrito de que há registro, mas hoje se sabe que não foi essa a primeira aliança entre as três comunidades envolvidas – Uri, Schwytz e Unterwald – os mais antigos cantões da Suíça.

Este pacto foi quase ignorado durante séculos e a criação de uma festa nacional nunca foi considerada. É evidente que sempre houve festas e cerimônias patrióticas.

Em agosto de 1805, por exemplo, realizou-se a primeira “Festa Suíça dos Pastores” nos campos de Unsprunnen. Vieram espectadores de todas as regiões da Confederação, bem como do estrangeiro, para assistir às diversas competições: tiro ao alvo, trompa alpina, luta “à la culotte” (luta tipicamente suíça) e lançamento de pedra.

Porém, foi unicamente no século XIX que se manifestou a vontade de “oficializar” uma verdadeira festa nacional, celebrada ao mesmo tempo em toda a Confederação.

Em 1889/90, com a aproximação do 600º aniversário do Pacto, o Governo e o Parlamento decidiram finalmente que a fundação da Confederação seria festejada em 1º de agosto.

Desde então, esta celebração é organizada anualmente pelos municípios com a colaboração das comunidades locais. Mas durante muito tempo ainda, esta data continuou a ser um dia de trabalho em muitos cantões pois a festa é, por tradição, uma festa noturna. Ao cair da noite, o espetáculo é constituído pelas fogueiras acesas nos cumes, nas cidades e aldeias, e pelos fogos de artifício, muitas vezes organizados a título privado. Alguns discursos, exibições de bandas e o toque dos sinos das igrejas completam o programa.

(Fonte: ESB-RJ)

Fondues…

07/07/2010

Já que estamos na estação das Fondues… então, vamos falar um pouco delas…

A Fondue tem origem na Suíça. Durante os longos meses de inverno, os habitantes dos vilarejos ficavam isolados e lhes restavam somente queijo, vinho branco e pão para a alimentação.  À medida que o queijo ia ficando seco, o colocavam numa panela grossa – chamada ‘caquelon’ – junto com o vinho, para que fosse derretendo devagar e evitando que ficasse pegajoso e fibroso. Desta forma, comiam mergulhando pedaços de pão no queijo derretido, obtendo uma refeição barata, mas substancial.

A palavra fondue deriva do francês “fondre” que significa fundir. Derivando então, para a forma errônea fondue Bourguignonne (de carne) – errônea pois, na verdade, não se pode ‘fundir a carne’.  O nome correto seria “Friture à la Bourguignonne”, que acabou tendo performances no mundo inteiro.  A partir daí, surgiram as mais diversas maneiras de se preparar um ‘fondue’.

Hoje não pretendo falar das tradicionais Fondues de Queijo e de Carne… A novidade fica por conta da Fondue Vegetariana!   Na receita, bolinhas de massa de aipim recheadas com cubos de legumes são cozidas em consomé e servidas com três deliciosos molhos: Choron (molho holandês misturado com purê de tomate), Gengibre (gengibre ralado misturado com creme chantily) e o de Cebola com cerveja preta.  Como acompanhamento, é servida uma batata roesti (sem bacon, é claro)!

Fondue Vegetariana - Casa da Suíça

Amanhã darei outras opções interessantes e mais saudáveis de Fondues.  É só aguardar um pouquinho mais…

Curiosidade: a origem do Dia das Mães

03/05/2010

Neste domingo, comemoramos o Dia das Mães. Durante esta semana, abordaremos diferentes temas que se referem a esta data tão especial. Para começar, segue uma pequena historinha sobre a origem data:

O Dia das Mães, também designado de Dia da Mãe, teve a sua origem no princípio do século XX, quando uma jovem norte-americana, Anna Jarvis, perdeu sua mãe e entrou em completa depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a ideia de perpetuar a memória da mãe de Annie com uma festa. Annie quis que a homenagem fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas. Em pouco tempo, a comemoração e consequentemente o Dia das Mães se alastrou por todos os Estados Unidos e, em 1914, sua data foi oficializada pelo presidente Woodrow Wilson: dia 9 de Maio.

Dados Históricos: A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de “Mothering Day”, fato que deu origem ao “mothering cake”, um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo.

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões em prol da criação de uma data para a celebração das mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de O Hino de Batalha da República.

No Brasil, o primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. Em 1947, Dom Jaime de Barros Câmara, Cardeal-Arcebispo do Rio de Janeiro, determinou que essa data fizesse parte também no calendário oficial da Igreja Católica.

Em Portugal, o Dia das Mães é celebrado no primeiro domingo de Maio. Em Israel, o Dia da Mãe deixou de ser celebrado, passando a existir o dia da família em Fevereiro.

Fonte: Wikipédia

Filet de Boeuf à la Stroganoff – Filé mignon à moda “Stroganoff” / Beef Stroganoff

26/04/2010

É um prato de origem Russa, que é mundialmente conhecido e que conquistou uma legião de fãs. Originalmente é feito de pedaços / tiras de filé salteados e servido com ‘sour cream’.

Existem várias explicações para a origem (século 19) e o nome do prato. Tudo leva a crer que o prato recebeu o nome de um dos membros de uma grande e importante família Russa, Stroganov.

A Casa da Suíça tem a sua versão do Stroganoff, que é muito apreciada, já que é finalizada a mesa. Além de se poder acompanhar todo o preparo dessa especial iguaria, você ainda tem os seus sentidos despertados…

Casa da Suíça - Stroganoff

 

A carne, que já vem cortada em tirinhas e envolvida em páprica, é salteada na frigideira e depois flambada com conhaque. Prepara-se um molho com vinho tinto, ervas finas, cogumelos selvagens, bechamel, demi-glacê e um pouco de creme de leite.  É servido com batata sauté e arroz branco, ou, se preferir, a nossa batata rösti

Curiosidades sobre Fondue de Queijo….

22/04/2010

A Fondue teve origem na Suíça.  Quando os habitantes dos vilarejos ficavam isolados pelos longos meses do inverno e eram forçados a contar somente com o queijo, vinho e pão para a sua alimentação.  À medida que o queijo ia ficando seco, o colocavam numa panela grossa, chamada ‘caquelon’ junto com o vinho, para que fosse derretendo devagar e evitando que ficasse pegajoso e fibroso. Comiam mergulhando pedaços de pão no queijo derretido, obtendo uma refeição barata, mas substancial.  A palavra fondue deriva do francês “fondre” que significa fundir.

Derivando então, para a fondue Bourguignonne, que na verdade nem poderia usar o nome fondue, já que não se pode ‘fundir a carne’.  O nome correto é “Friture à la Bourguignonne”, que acabou tendo performance no mundo inteiro.  Daí surgiu as mais diversas maneiras de se preparar um ‘fondue’.

Fondues da Casa da Suíça - Rio de Janeiro

Fondues do Restaurante Casa da Suíça:

 Fromage – Queijo

Au fromage – Queijo Emmental e Gruyère                                                                     

Au fromage avec poires et champignons – Queijo com peras e cogumelos             

Viandes – Carnes

Bourguignonne – Carne tradicional                                                                                 

Chinoise – Chinês                                                                                                              

Fondue d’ Été – Verão                                                                                                      

Lês viandes diverses sur pierre (para 2 pessoas) – Carnes diversas sobre pedra  

Poisson et Fruits de mer – Peixes e frutos do mar

Sole – Linguado                                                                                                                 

Fondue aux fruits de mer (para 2 pessoas) – Fondue de frutos do mar                                                     

Vegetariano

Vegi – vegetariano com 3 molhos e roesti sem bacon

Sobremesa 

Fondue Royale (para 2 pessoas):                                                                    

Profiteroles, Maçã, Mamão, Melão, Banana, Laranja e Morango

mergulhados em calda de chocolate quente feita na casa.

*************

Já experimentaram uma dessas delícias?

Feliz Aniversário!!!

14/04/2010

Casa da Suíça completa 54 anos

A Casa da Suíça completa, hoje, 54 aninhos!!!

.

Por conta da nossa Swiss News (nossa newsletter), já recebemos um monte de recadinhos fofos de nossos clientes. Gostaríamos de agradecer pelo carinho de todos e, principalmente, por nos prestigiarem durante todo este tempo, nos ajudando a escrever a história do restaurante (e, de alguma forma, permitindo que a Casa da Suíça participe da história de cada um).

E, em clima de comemoração, queremos dividir com vocês um presente suuuper bacana que ganhamos do amigo e designer Denis Marinho: uma nova logomarca! Linda! Linda!

.

Casa da Suíça ganha nova logomarca

Nova logomarca, presente do designer e amigo Denis Marinho

.

Muito obrigada, Denis! E parabéns pela sutileza e pelo bom gosto! A logo foi aprovadíssima pelo chef Volkmar e por toda a equipe da casa: “clean“, colorida, diferente, sem perder o tradicionalismo desta “aniversariante cinquentona”. Já adotamos como nossa e os clientes, aos poucos, vão encontrá-la em todos os nossos layouts (inclusive neste blog!rs).

.

Tim tim!